sábado, 26 de janeiro de 2013

Rio




O Rio Corria
No Leito que o Sustinha
No peito por onde se Vertia
Em transbordo Cristais
Afastava os Seixos
De Margens Cortantes 
 Surreais
Aquela que era Nascente
Vida a lábios Indolentes
Crentes em Lágrimas 
Descendentes
No corpo Mestre 
Languidamente
Querendo Beber
Do Oásis Imenso
 Em que se Perder!


Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário