sábado, 5 de janeiro de 2013

Lágrimas ao Mundo



O colectivo
Transforma e Transtorna
O ser emotivo
Que chora nas horas
As lágrimas de demoras
Do tempo em esporas
Que se desfazem em pétalas
De Sangue em Rosas
Chora o Mundo
Num Segundo
Que Basta
Que as Entranhas Devasta
Na Revolta que Agasta
O Ideal da Mudança
Que caminha Consigo 
No manto da Esperança
Que quase sente 
Nos passos que alcança!

Sarah Moustafa


6 comentários:

  1. Sarah,
    As palavras me faltam para te dizer o quanto estes versos tocam profundamente a alma!
    Muito, muito obrigada, pela emoção!
    Parabéns pela tua escrita!
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Como é difícil o equilíbrio entre o Ser e o Colectivo...!
    Uma lágrima que partilho!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Sarah
    Profundo sentimento!!!
    Ainda lamentamos as lágrimas do ser
    enquanto o coletivo sequer se dispoe
    a conjugar alguns verbos...
    besOSMen@

    ResponderEliminar
  4. Que nunca se perca a esperança..

    Beijinhos Sarah


    Ana

    ResponderEliminar
  5. Querida poetisa!
    Agradeço o convite de conhecer seu tesouro, amei demais.
    Seus versos são maravilhosos, encantam.
    Voltarei sempre, pra encantar o coração, bjs

    ResponderEliminar
  6. Querida Sarah,
    indiquei o teu blog para o Selo literário 2013, dá uma passadinha no meu blog , fique a vontade para aceitar.

    Obrigada

    Ana

    ResponderEliminar