quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Arritmias #49




Aquele vestido,
foi a prova de mim
que te deixei.
Embora
cheio de nódoas tuas,
era meu,
só meu,
para ti.

E tu deitaste-o fora.
" Doaste-o"

Como tudo o que te tentei dar,
coração,
alma,
palavras.

Tudo no Lixo.




Sarah Moustafa



 

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Despedidas.



caixas,
caixotes ,
gavetas desarrumadas,
pontas soltas,
reticências malvadas.

Sei que tu não consegues,
então faço eu a a vênia
ao teu orgulho.

Livros,
páginas manchadas,
rascunhos
e mais rascunhos,
cartas extraviadas.

A tua mão a descrever-me ,
enquanto percorre a minha pele,
1 milhão de copos bebidos,
música em repeat ,
as mesmas pessoas,
todos os dias
ausentes da mesma magia.

Um acesso de raiva,
quero estrangular-te,
Sai daqui,
Respeita o meu espaço,
Deixa-me ser feliz.

Queda livre,
Um pedido de ajuda
a tua voz constantemente
nos meus ouvidos,
O que é que me fizeste?
O que é que me fizeste ?
Um poema
que não sabe mentir.

Uma surpresa a tua porta,
e ainda assim não estás lá.
Um tabuleiro de xadrez,
que nenhum
pode ganhar .

A maior fome,
A maior vontade,
A mais fantástica,
Calamidade,


Foi um prazer conhecer-te.
Homem da minha vida.







 Sarah Moustafa

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Arritmias #48





Podes ferir-me com a espada das tuas palavras ,

a vontade


Porque,


Eu dispo-te todo , com as Minhas.







Sarah Moustafa

És de Plutão e eu da Lua




leva a bicicleta,
mea culpa.
mea culpa.
mea culpa.

Tornei-me na Maléfica.

?Eu desapareci ?!
 não tomei conta de ti,

Ta .

e tu desististe,
deste mão ao medo,
e traíste o que sentiste.

Que bela , cega
mula teimosa  ,
me saíste.

e eu ainda
gosto de ti,
assim.

E tu tambem,
que chatice
não é?








domingo, 27 de agosto de 2017

Não há cura.





não existe analgésico,
estupefaciente,
distração,
hobbie,
homem, 
que adormeça a terrível
força demolidora
tua presença em mim .

Dói não dói ?

Tanto. 

Mas ainda assim,

débil ao tutano,

não

mudaria nada.


Aqui ou em outro qualquer lugar deste mundo.

(Talvez seja isto que não entendas.)


Amo-te.







Sarah Moustafa

Sete Vidas




Meu amor,
se te queres despedir de mim,

fá-lo de forma digna ,

com corpo,
forma e vontade.

deixa-me a hiperventilar,
cheia de água na boca ,

atira-me ao mar das tuas provocações,

mas garante que eu não volto,

Eu aprendi a sobreviver,

com distinção

no oceano das tuas tempestades.


será que as minhas sete vidas ,

estão acabar ?

 : )





Sarah Moustafa

sábado, 26 de agosto de 2017

Todos os dias



Desde que escrevo sobre nós
sem parar,
todo o formato dos meus
dias mudaram.

sinto-me um pouco envergonhada de confessar,

que somos o meu único interesse,
a mais tamanha ambição,
e talvez por querer tanto
ou tão pouco...

os dias revoltam-se ,
e pararam.
O calendário é lento a riscar-se,
e a sina a cumprir-se .

É um fardo e uma necessidade tamanha ,

segurar-nos .

Eu sei, isto não é vida para ninguém.

Ainda bem que pelo menos ,
sobrevivem palavras...
e uma eternidade
de coisas que tenho para dizer !

Ainda bem que ,
resta algo ,
intocado
que ainda posso chamar
de nosso.

Inteiro nas minhas mãos.




Sarah Moustafa

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Ignorantes



Só depois do nosso encontro ,
descobrimos a fundura
e o significado de algumas
palavras.

Como apunhalamento
e saudade.

Agradecemos o ensinamento ,
mas suplicamos todos os dias

Quero voltar a ser ignorante !

Não podemos fazer isto a mais ninguém,
Olha para nós...

podem não sobreviver.






                                                                  Sarah Moustafa

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Fases da Lua




A Lua está em Balança ,
Ou Libra, pequena
indecisa , minha moradia .
e eu prossigo deslumbrante ,
acrobata nos véus
que nos prendem ao mesmo mistério.
Um do outro,
Um sem o outro,
Um com o outro .
Mantendo o tênue equilíbrio,
que a Justiça Divina,
atrasa .
Enquanto ela não chega,
é simples,
evitamos todos os espelhos.

E nenhum Dança.





Sarah Moustafa



Quase.




Consigo perceber
que já me tentaste responder,
mas que irias tu dizer?
vejo como as tuas mãos agarraram o telefone,
sabes que agora sou bruxa ?
e o ímpeto de me ofender ou acusar ,
ou magoar com a língua afiada
das tuas palavras de gelo ,
foi tão forte que deves ter precisado
de recorrer algum auxilio de urgência,
se é que me entendes 
para te impedir de tal gesto.
ouvir a minha voz,
poderia derreter as fachadas e ilusões
de que te rodeaste,
ou despertar o espirito,
que tingiste no dia que me deixaste.
Afinal tu,
quase me amaste,
quase descobriste a luz ,
quase foste tu mesmo ,
quase me superaste,

quase me telefonaste  ...

Mas entre seres um Homem ou um rato...

" o algodão não engana ."

é muito chato ,

Nunca chegas ao fim com nada .






Sarah Moustafa

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

P.S



Cada poema, 

         é uma migalha,


                                            797


  Não te distraias.

                                             Segue-as.

Aquiles.



dá-me  "A ideia "
diz-me, como me desenvencilhar desta corda
Vá lá... nunca te peço nada,
que amarra o espírito e inibe o alcance
ao Olimpo,
onde um trono me aguarda,
e eu prometo...
que te recebo,
em que estado maltrapilha estiveres,
e cuido de ti, até descobrires
que és a minha única fraqueza,
e surpreso questionares
a minha demência,
sabendo que me vais destruir
novamente,
eu sei que é demasiado tentador,
e eu acarinho-te
e coloco tudo em risco,
porque tal como Aquiles
só vale pena cair,
quando no mais alto estado,
de glória ,
e o  calcanhar que beijas,
tira me a vida,
mas dá-lhe significado .

O que é mais importante ?


Sarah Moustafa

A Fera.



a tua beleza,
não é tua.
sem mim,
os teus traços
tornam-se nos grotescos
uivos de um ego infernal
castigo em chamas,
pobreza de espírito
fonte seca,
o que és tu ?
sem a água,
o alimento ,
as pernas
o abraço
os olhos
de quem te transformou
na mais bela
prova ,
da absolvição
de Deus,
a força que impera,
num simples
acto de amor ?
Onde estás?
preciso de cuidar- te,
essa carapaça de monstro,
defesa de quem se ausenta,
não é para ti .

Porque escolhes existir sem mim ?

Sou tão Bela.



Sarah Moustafa


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A mesma hora, no mesmo Lugar





é bom voltar a escrever-te
como um búzio encostado ao meu ouvido,
entoando a música da minha maior fantasia ,
estás mesmo ai ?
é esta a tua voz embriagada,
que num grito atrapalhado
me chama ,
 anda cá ! ?
Preciso de ti !

é bom voltar a ler - me.
desiludir-me,
sem nunca me desapaixonar.

 devíamos conversar sobre isto ,

encontramo-nos,
á mesma longa hora ?
Aqui ?

Na corrente do Diabo,
toca do nosso favorito
pecado .




Sarah Moustafa

domingo, 20 de agosto de 2017

quem é quem .





a tua fotografia,
um puzzle
espelhado
das minhas dúvidas
existenciais
Who the fuck are you?
Dizem que és bondoso ,
refuto que não podes ser,
 de maneira alguma.
Excepto ,
Talvez,
quando os teus olhos estranhos
estáticos,
caem sobre a imensidão dos meus ,
e as muralhas trespassam-se ,
e um portal abre-se ,
ao tamanho da maior verdade,
universal,
como um beijo tresloucado,
de que tento fugir,
Até me capturar
não sei bem em que tempo,
ou espaço.
E de repente,
 fico com esta dúvida cruel,
silenciada.

You're the same as me.


Sarah Moustafa

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Apagador



Queria que o tempo nos apagasse ,
e trouxesse o futuro,
nas mãos que desconhece.
Ele viria mudar as horas
e sacrificar os minutos,
abdicar de todos os segundos ,
que a nossa ausência oferece.
Ele viria salvar-nos,
de
Todo um vazio que ainda nos preenche.




Sarah Moustafa