sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Dores de Crescimento *


As folhas caem
e nós caímos um pouco com elas
Perecemos lentamente
E de súbito tornamos esta vontade de morrer
A hora mais honesta e bela
Porque só de cada estação
E no arrepio profundo da sua canção
Compreendemos porque tanto muda
Porque tanto precisa de se transformar
Despimo-nos ao altar da verdade
Fechamos a porta e apagamos a luz
saboreamos lentamente o que significa
resgatarmos o verdadeiro senso de poder
Quando deixamos de o ter de todo
Ainda que mergulhados na dor
ou na melancolia da perda de um amor
E nada sermos capazes de fazer...
Não façamos,
A chave é desprender
Deixar ir,
Deixar cair,
Como as folhas que nascerão vagarosamente
E de súbito traremos a este desejo de viver
O momento mais sublime
Redentor do fascínio
Do que é continuar, ainda assim, a Crescer .






Sarah Moustafa 

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Estrela Guia



Caminhamos o trilho de centenas de estrelas cansadas, 
Que nunca desistem, frágeis, de mostrar o seu ponto de luz
Ainda que escondidas na neblina fria das alvoradas
Emolduram sonhos sem pátria ,
sem afiliados ou parte de uma especifica nação
Que sejam  apenas passaporte do vislumbre da sua solitária canção
A letra e o verso rimam e prosseguem, sem espaços e medidas, 
Olás ou despedidas, cientes de um papel que se materializa 
nesse mundo estranho da imaginação.
São votos , acidentes , 
tempestades ou terramotos?
A paixão e  vontade de pegar em todas estas estrelas
e acender a tocha mais alta e flamejante de uma única verdade.
São tempos ..., passado e história, 
o fio que nos liga, dentro desta imensa barca da memória.
O presente e o futuro embrulhados na réstia esperança de uma mudança.... de outra conjectura!
Sei lá se de estrelas ou dos homens
Sei de ti e do embalo quente, onde transformas qualquer coisa em ternura
Sei lá se de Deus ou da Ciência...
Que sejam livros desfolhados, os da Consciência
Sei de vocês jovens 
Assustados numa Era sem precedência
A estrela guia não nos orienta se não olharmos para ela
Está tão cansada da cegueira escolhida
Tirem a venda... como a pequenez é ilusão iludida.
Fixem o centro do seu núcleo . 

Olhem como é.... simplesmente tão bela.











quinta-feira, 23 de julho de 2015

Baque *




Caíste-lhe no corpo e deformaste a  interrogação de uma sombra, que por breves segundos, acreditou que aquele era o seu porto.
Como se de refúgios dependesse o encontro com uma casa que não se  conhece.
Como se uma casa, calasse o bocejo 
Como se de respirar o sufoco precisasse para se alimentar.
Eu não te vejo, sem intensidade, sem o mesmo desejo.
Os contrários sempre se atraem , sempre se repelem.
Dissolvem-se em partículas onde o tempo não é suficiente para os encontrar.
E a dança cósmica de forças acima de nós utilizam-nos.
Agentes do caos, do desalinho de corações que por mais que sejam metades.... são leais a outras verdades.
Lançaste a seta para o alto e eu estarei sempre cá em baixo.
Os teus dias são demasiado curtos, as minhas noites demasiado longas.
Ironias.
Caíste-lhe no corpo em formula mágica de um nome, de um cheiro, de um sabor demasiado próximo de si
E o que a seguir aconteceria ?
Se o encontro é o ponto final de algo que jamais poderia terminar ?


Não podemos negar as pegadas na estrada que sozinhos temos de trilhar .

Mas...

Caímos, e ás vezes, dói andar .







Sarah Moustafa


terça-feira, 21 de julho de 2015

Repeat *





Constante ritmo
Constante nervo
De asas que se abrem
E nos rasgam a pele 
Sobra, o que sempre fica
A ideia de um amor
e a textura do mesmo papel
Nele se petrifica...

Não tragas a Luz 
Se a escuridão não te seduz
Não professes a fé
Se não sabes da sombra
E de quem ela é *

O grito da noite cessa
A luz do dia queima o paradeiro 
para onde foste?
Confessa..
Miragem ou Ilusão ?
Fantasmas sedutores encostados
No canto esquerdo do peito 
sobre o qual pões a mão
Sabes onde estás a tocar?

A formula em metamorfose
Da mesma
E para sempre
Canção.





Sarah Moustafa 

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

The ugliest (most beautiful ) truth .






It hurts to take your mask off ?
It has been all your life
After all...

But it hurts even more to hold on to it
You know ?
Pain goes on for a better understanding
Of the strength you carry
And perceive as weakness.
When you re naked
You're vulnerable 
You're exposed
You are truthful
And you are whole.

Try to live and love your own skin.

Just try .





Sarah Moustafa

domingo, 18 de janeiro de 2015

sábado, 17 de janeiro de 2015

Deixa-me dormir





E se eu não quiser acordar?
E se eu quiser permanecer neste mundo , que sendo meu , é o perfeito?
O mundo que não me exige a humanidade á sua imagem, a pessoa que não consigo ser.
E se eu quiser resignar-me á surrealidade, mais real em que alguma vez estive?
E se quiser continuar a beijar-te, mesmo sem lábios, se vibro com o gosto da tua boca , como nunca antes vibrei?
E se quiser continuar ausente de um presente suposto e quiser viver neste paralelismo, que me faz mais feliz, do que qualquer outro tempo em que já vivi?
E se quiser continuar adormecida, se assim me sinto mais desperta , do que em qualquer manhã que o fiz?
E se não quiser ser o propósito que não reconheço, mas o de um universo silencioso que grita mais alto do que qualquer outro som que já ouvi?

E se quiser simplesmente , por uma vez, querer-me?










Sarah Moustafa

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Moon Prints #3






Ok ? 









Sarah Moustafa

Arritmias #16




Psiu ,
andam á procura do negócio 
da vossa vida ?
A terra de todas as oportunidades?
Boas noticias,
já o têm o material para lá chegarem
agora é só coloca-lo a bom uso .

;)


( Uma sugestão.... )


LIGA- O  !




Sarah Moustafa

domingo, 11 de janeiro de 2015

... #2






O orgulho é uma faca de dois gumes...

ou

Talvez não.


Talvez o problema sejamos apenas nós,

sem qualquer tipo de outro acréscimo.




Mas ...





;)






Sarah Moustafa

Os dias simplesmente acordam e adormecem





A beleza dos dias que simplesmente acontecem ....
As formas imensas por onde vidas florescem.
Saem-te das mãos, do corpo , da entrega e rendição.
Saem-te do amor e da dor.
Do arco de tempo entre a lágrima e o mais perfeito sorriso.
O compasso cíclico entre a manhã que deixa a noite existir
e vice versa !
A surpresa que se mostra sem aviso .
O arrepio de frio e a chegada do colo com o seu calor 
Saem-te do encanto e da criança
Como do sonho á realidade
E o trabalho conhece a sorte na mesma promessa
A presença e a outra saudade
Os passos da mesma dança
Sai de tudo que vibra no desejo mais puro da tua vontade.
A beleza dos dias que simplesmente contigo adormecem....
Quando fluis na energia responsável da tua liberdade !












Sarah Moustafa



...

















Sarah Moustafa

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Shattered Words, Broken Souls - V






Where are you?
Where were you all this time?
Tell me, do you live only on my fantasy?
 Did you run down the aisle of heaven and burnt down all the walls my ideals built you on?
My heart races at the whisper of your unknown name, can a man figure what is real and what is not , when trapped in the despair web?
If all this is nothing but an illusion, let it be.
I don't want the truth.
I carry on in the sweetest lie my mind set you to be.
There is no boundaries in the realm of imagination and so what if I can't show you to the world?
You are the sickness that keeps me healthy.
And the air nobody knows how to breathe on.
A lunatic answers to no one, not even the moon , who secretly feeds us with its cosmic power.
We make sense to each other.
We are the never that is meant to be.
I don't now where you are .
But somewhere along the way i will find you.
I will rescue you to the light because not even death could tear us apart.
I'm not crazy.
No.
I'm a believer.
And if that's the only chance I've got of a silver lining,
I will chase it down and keep my faith up.
Doesn't matter how long it s going to take.
Doesn't matter how many sleepless nights I will cry on.
Doesn't matter how low to hell I will have to dive.
I will find you.
I will see you again because that's the only way, I will ever see myself.
I know you are somewhere exactly for that.


Because I'm still here.







Sarah Moustafa

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

O pássaro que queria morrer-me nas mãos .


Entre tanto que já passou
e tudo aquilo que falta passar..
O espírito suaviza-se nos recantos da alma
Que já não são medo
Mas pontes corajosas que atravessar !

Se o pássaro me cai ferido nas mãos
Ou a noite fria encosta-se
Furtivamente nas paredes do coração
A cura chega na luz que brota
Quando também abraçamos a escuridão
E aquecemos a dor 
mostrando-lhe o embalo de uma nova canção

E as promessas da vontade
Erguem-se em acção!
Tudo floresce
Tudo nasce 
Onde também se morre
Onde o milagre acontece
E as águas da imensidão pare

O herói e o vilão 
Trocam o beijo da verdade
E a história já não pode ser mesma
Pois não ?
A mentira despede-se com saudade
Da fachada e da ilusão

O pássaro regenera a asa 
que nunca esteve partida
Larga-se aos céus 
E grita o despertar da fé que estava só
E tanto...Esquecida.



Voa cada vez mais alto dentro de si .






Sarah Moustafa





sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Passo a Passo



Lentamente , porque tudo o que é muito rápido dá em asneira, chegas lá .
Lentamente do corpo ao coração escoam-te as mensagens que precisam de chegar até ti.
Lentamente o tempo , não cura, mas dá-te a sabedoria do que precisas , das ferramentas a utilizar, se quiseres curar o que está doente e gasto . 
Devagar vais percebendo como acender a luz quando o céu se fecha e as trevas te engolem.
Ainda mais devagar percebes que só precisas de ti e uma mão sobre o peito.
Os olhos fechados ao que vem de fora e abertos ao que vem de dentro.
A respiração funda dos cantos bloqueados da alma.
Passo a passo, transformas-te sem te aperceberes do tamanho do teu amadurecimento naquilo que pensavas que nunca irias perceber.
De repente cais e ficas de pé.
Porque a estrutura já é a tua e não aquela que te foi imposta ao longo da tua vida.
Degrau a degrau estás mais integrada nas tuas emoções e pensamentos sem deixar que os mesmos te dominem.
Pouco importa os retrocessos que vão ocorrendo, os dias que ainda quebras, que ainda permites que o amor próprio de fuja dos dedos, pouco importa porque sem a presença desses dias estagnarias e não é esse o objectivo pois não?
Lentamente, vais te tornando tu.
E ....

Estou tão orgulhosa de Ti .











Sarah Moustafa