terça-feira, 2 de abril de 2013

Felicidade




Ser feliz é estar feliz no próprio instante da felicidade!
É o tempo que intercede no ponto de viragem de uma sensação a uma emoção.
É a estrada que se percorre entre a lágrima e o sorriso, a viagem salgada do olho ao lábio, que nos incita  a redescobrir os instantes preciosos de uma viagem que nunca verdadeiramente acaba.
É nesse trajecto tão curto de longura, tão extenso de perdura, que a inquietação encontra a sua paz, não porque a extingue, mas porque a depura no melhor que ela pode ser. 
Num auspicio de vida intensa, jovial que pode renascer, sempre!
Nessa jornada, pequena mas imensa, percepcionamos uns segundos de pertença a algo maior que o juízo de uma sentença, abrimos os braços desprotegidos e o vento acolhe-nos, abraça-nos de volta, ampara-nos no remoinho da sua propria natureza, confere-nos a certeza de uma imunidade presente na própria força da individualidade.
Ser feliz é reconhecer o exacto segundo da sua imensidade, dar-lhe o todo que há no período de brevidade.
Ser-lhe intensa á proporção e grau da existencialidade.
Ser feliz é valorizar o hoje, reconhecendo que se faz entre o ontem e o amanhã,  no ponto de encontro delicado, pleno da necessidade de o ser.


Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário