quinta-feira, 11 de abril de 2013

Confesso


.

Confesso
A hora do ponteiro
Que foi embora sorrateiro
Confesso
O sorriso de raposa matreiro
As artimanhas de premeio
Confesso
A debanda de Forasteiro
As pegadas deixadas
No corpo inteiro
Confesso
O receio
Da ida de uma volta
No caminho deixado ao meio
Confesso
A conspiração feita
Sem a confessar
A hora do ponteiro
Deixada por amar
Noite após noite
No leito deita
O que ainda há a declarar
....

Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário