segunda-feira, 29 de abril de 2013

Arde



Disseca o impassível
Devora o Apetecível
Arde
O corpo que carrega Alma
E Arde
Incinerado na sua Calma
Degenera a Paz
Apenas Arde
Destrói o tanto lhe faz
Arde
Rebenta o Corpo
Reanima a Vida
Regressa quase Morto
Arde
Bate de Frente
Rasgo Aberto
A Carne não mente
Continua 
 Arder
Arde, Ardente
Combusto ao que Sente
Arde
Petardo implantado
 Na sua Mente
Arde
Bomba Relógio
 Desreguladamente
Detona 
Destemperadamente
Arde
E já foi Tarde
Ardido
Tragos de Desejo Perdido
Mas Arde....
Como Arde!
Tremendamente!

Sarah Moustafa

1 comentário: