sábado, 27 de abril de 2013

Delírio



O Eco de uma Voz Gutural
Invoca Cambiante
A Aproximação Aliciante
Traçada no olhar Triunfal
Olhos que não Presenciou
Mas entre brechas da Noite
Deles, se e os ,Alimentou
Ressonância da Voz 
De Veludo Que não Calou
Entre a febre Enferma
E o escoamento de Água 
Fenómeno da Terma
O vapor de escaldo Queimado
Do Sonho ao Pesadelo
Árduo Violado
Marcas de Contacto
Longinquas de Pele
Sinais do seu Tacto
Expressos ao Delírio
Entre o Domínio 
E Subjugação
No Hedonismo do Seu Acto!

Sarah Moustafa

1 comentário: