segunda-feira, 8 de abril de 2013

Aqui



Aqui descreve-se as particularidades 

De toda uma repleta infinidade 

Crê-se apenas na supera sensibilidade 

Matizada em tons esbatidos de Realidade 

Destrói-se o Julgamento 

Crê-se unicamente no Sacramento 

Do esplendor e interminável firmamento 

Sejam bem-vindos a entrar 

Se nenhuma destas palavras vos fez recuar 

Com a libertação dos versos e pensar 

Vos ofereço Humilde a benesse de Amar 

Todos e a Cada 

Um por Um…

O Altar do meu Sonhar!

Sarah Moustafa

2 comentários:

  1. Não havendo julgamento tudo se torna sublime...
    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde, Sarah. Iria seguir hoje tão belo espaço, quando vi que já sou seguidora, rs.
    Belo e intenso poema que reflete sentimentos tão bons.
    Beijos na alma e paz!

    ResponderEliminar