quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Perder é Encontrar




Quando perco encontro
Satisfaço em toda a perdição
A melodia que eclode
Gigante em toda a emoção
Que como um petardo explode
Saciado pelo transbordo
 Das notas incrustadas no coração

Quando perco encontro
Nas cinzas da destruição
Aquele pequeno monstro
Que ruge pianinho
Cheio da atenção
Enlevado no estrondo
Assustado e Sozinho
Querendo apenas afeição
Do refugio inesperado
Que brota da aceitação
Do ser abnegado
Que o bem e o mal
Se encontram no receptáculo
Da magnânima altruísta devoção

Quando perco encontro
O mim que deixei por aí
Sumido no decoro
Em que parti
Na nau da triste vida
Que pela fortuna do recobro
Surge no horizonte plenamente reerguida!

Sarah Moustafa


Sem comentários:

Enviar um comentário