terça-feira, 20 de novembro de 2012

Neve






Os flocos de neve desabam na tranquilidade dos céus regelados, plácidos no conforto do tempo apropriado, da benesse que deles brota, na produção da natureza cândida, genuína no procedimento das maravilhas aprimoradas, sequencialmente orquestradas, harmonizadas na sinfonia consonante dos acordes melódicos, sublimes aos sentidos apurados, tocados pela virtude da sensibilidade respeitante, na beleza alusiva, magnifica, fidalga na eximia ilustre composição.
Ah.. Os  flocos de neve tombam vagarosamente pelas estradas vestidas de branco, adornadas de virtuosidade, níveas no deslumbre dos olhos que se arregalam, com o fitar da bênção reproduzida, que se emocionam na graciosidade da visão expeditamente triunfal, esplêndida, excelsa no absolutismo da excelência.

Sarah Moustafa

3 comentários:

  1. Oi querida
    Você nunca veio ler minhas postagens, tenho o blog infantil: Mundo dos Inocentes que vai fazer 4 meses, dê uma passada para conhecer.
    Sua poesia é de uma ótima poetisa, muito linda.
    Beijos
    Lua Singular e
    Mundo dos Inocentes

    ResponderEliminar
  2. Minha querida

    Um belo texto de uma suavidade que adoça a alma...Adorei.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar