quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Olhos de Cristal







Esses olhos são de cristal
Entre o fumo e o bendito sal
Depuram toda a reminiscência do trivial
Reformulam a escória em divinal
Assemelhando-se ao Impossível

Enterras as mãos ás raízes torpes do Horrível
Não temas! Vê como é aprazível
Esse deleite nas sublimes mutáveis formas
São a pequena secreta formula
Plena, crente na visão singela
Que fazem de ti, a única tremenda Bela!

São esses olhos de cristal
Que transformam as trevas
Em degraus de pedestal
Que se curvam, servas
Em jubilo aval
Plenas de força mental
Fazem pensar que na 
ressurreição
Reside a verdadeira única perfeição
A de ser sublime na matéria em decomposição
Sem negar a luz que brilha alta
Nos anelos lindos da Transformação!


Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário