terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Criação




Quando escrevo com primor
Sinto que sei o que sei o que é o amor
Pois deito no papel
As letras de acre fel
E faço-as de doce mel
Em ternura ao talento
Que do sopro do intempestivo vento
Fez de mim assim
Abençoada em redor do tumulto em motim
Condenada á tremenda ansiedade
De descobrir a pequena particularidade
Que me transporta da suposta perfeição
Aos aquedutos da Incorrecção
Que me eleva da sombra
A uma pequena pomba
Perdida e Achada
Nos meandros da fadada
Elevada Criação!

Sarah Moustafa

4 comentários:

  1. Que ternura de criação.
    Belo como uma pequena pomba a anunciar a liberdade e a PAZ...

    ResponderEliminar
  2. Pombinhas a voar e gaivotas sobre o mar...lindas metáforas para criar poesia...o meu abraço carinhoso,

    Véu de Maya

    ResponderEliminar
  3. Do fel ao mel... numa bela criação. Bjss

    ResponderEliminar
  4. E só por se sentir assim, quando deita palavras sobre o papel, já vale a pena escrever.
    Abraço
    Ruthia d'O Berço do Mundo
    http://bercodomundo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar