quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Bastidor





As linhas do corpo trancado
encarcerado no rigor ensinado
mostram nas partículas da dissimulação
as linhas ténues da paixão
refulgidas na majestade
que tenta ténue
vibrante de sensualidade
indiferente á magnificência
que deixa cativos na sua imponência
transbordante de força e fraqueza
que enquadram a precisa fidedigna beleza
que encanta ao observador
a realidade em esplendor
da autenticidade em furor
da bela que vive com a sua dor
que dança com o sofrimento
e ainda assim em pleno tormento
é intensa no arrebatamento
de quem vê no bastidor
a passagem do amor
e se silencia no suspiro
do que a alma aspira
em crescente, latente
Fervor.


Sarah Moustafa

4 comentários:

  1. Uma alma fervorosa que sempre está pronta para amar da melhor maneira possível... Lindo poema, Sarah!
    Deixo-lhe um abraço!!!

    ResponderEliminar

  2. Obrigado Malu! Que belas palavras!
    Um abraço para si tb!*

    ResponderEliminar
  3. Querida Sarah, gostei da forma como escrevete este poema, de uma maneira sensual e intensa. Já estou a te seguir e obrigada por fazê-lo também no meu espaço. Um grandioso abraço, voltarei outras vêzes.

    ResponderEliminar
  4. Ah, Sarah!

    tens paixão pela vida...por isso no teu espelho há poesias a sonhar.

    Obrigado pela tua visita...se tiveres um tempo...faz uma visita ao meu canal de poesia no YOUTUBE-nome poético...Véu de Maya.

    abraço carinhoso

    ResponderEliminar