sábado, 15 de dezembro de 2012

Dama




Fugidia 
Volta á sombra de mil Sóis
Que te aguardam ansiosos
A cada dia
Por um pouco mais 
Esses tremendos
Que costuram em condoimento
O coração que lhes deixaste
Em tecidos de remendo
Desesperados em contendo
Pelo Regresso da sua Dama
A que se esgueirou silenciosa
De sua Cama
No alvorecer que despontou
Ténue em Chama
Que os abandonou em estertor
Os Tresnoitados
A que chamou seu amor!

Sarah Moustafa

4 comentários:

  1. Fiquei com o Maiakóvski na cabeça: a tarde ardia em cem sóis. Mas só uma leve lembrança, você deixou sua marca bem deixada.

    ResponderEliminar
  2. Li alguns poemas e fiquei a gostar da tua poesia.
    Voltarei, por certo.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  3. Minha querida

    Passando hoje apenas para agradecer a presença carinhosa no meu aniversário, fiquei emocionada.

    Um beijinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  4. Olá adorei conhecer o seu blog!
    Você está de parabéns bjs.

    ResponderEliminar