sábado, 9 de novembro de 2013

Exaltação










Muitas vezes só vejo, respiro e vivo para o que desejo.
Este desejo incapaz de se satisfazer, esta inflamação egoísta que se queima por prazer.
Rasga-me a vontade, a intensidade, a fome e o apetite que o tempo regojiza em fazer crescer.
Qualquer excitação que motive o caminho de encontro ao sol nascente, que no calor me derreta e faça renascer.
Iluminar me na forma quente e doce de um raio, que se veja céu e sinta terra, que ame a noite sem a ela pertencer...
Ser brisa e não medo de viver!
Ser leve, pássaro sem mão, com a promessa radiosa de regresso e partida a cada estação
Ser sobretudo, batida nova no coração.

Excusez moi pour mon exaltation .



Sarah Moustafa 

Sem comentários:

Enviar um comentário