segunda-feira, 4 de novembro de 2013

As Vezes




As vezes bastam as mensagens curtas de cauda longa , para ansiedade respirar...
As vezes bastam os agradecimentos silenciados num olhar, que se cruzam por intermédio da improbabilidade e se firmam na cumplicidade que os sentidos não conseguem controlar...
As vezes bastam as notas da mesma música, tocadas sem parar, para algo de novo a mesma acrescentar...
As vezes bastam as memorias reencarnadas que nenhuma outra história, que senão a tua, pode inspirar...

As vezes bastam os momentos a que nos deixamos entregar.


Sarah Moustafa 

Sem comentários:

Enviar um comentário