quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Está alguém , aí ?



E que alguém me leia e não finja que entenda
E que alguém me beije e não minta,  
E não se canse da explosiva sedução lenta
E que alguém me manche a pureza
E se derrame nos meus papiros
Desfeitos de tinta e delicadeza 

Que alguém se atreva  a escrever me 
E me deixe nessas letras estrangeiras 
Para que me encontre, e uma vez mais...
Tenha de dissolver-me

Que alguém se atreva a calar 
Aquilo de que não sei falar
E que a voz da macieza
Crepuscular
Me traga o conforto Selvagem de uma onda revoltada
No seu próprio mar...

Que alguém seja
Além do que se veja
Da superficialidade
Que me boceja
E que anseie a profundidade  !
Que nela me acompanhe
Porque dói 

Mas não aleija.





Sarah Moustafa





Sem comentários:

Enviar um comentário