segunda-feira, 18 de março de 2013

Vi-te




Vi-te em Linhas
Na Palma da mão
Desenhei o Nome
Em código de Letras
 Incrustrado ao Coração
Em cifra que consome
A que nada
Mata esta fome
De querer
O que se pode
Sem poder
O caminho Deter
Mas vi-te o Rosto
Ao fim de um Dia
Ao encanto de um sol Posto
Vi sem Fugir
Vibrei com o Sentir
Esse mesmo de Verdade
Sem mentira a que Redigir
...
Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário