quarta-feira, 27 de março de 2013

Sabia



Sabia que a noite vinha
Mas que importava
Se a noite sempre foi minha?
Sabia Do que Fugia
Cobrindo o Dia
De um Sol que me Mentia
Troçando de um esgar que não Sorria
Sabia que a Verdade
Era Mártir da Realidade
Concebendo um Mundo só de Autenticidade
Sabia o que era a Fraqueza
Caixa aberta de Surpresa
Jóia Resplandecente de Beleza
Sabia o que era a Morte
Trevas da Própria Sorte
Declamando nela o meu Porte
Sabia que a noite Vinha
Mas que Importava
Se da minha Posse
Já eu a Tinha?

Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário