quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Inspiração




O palpável além da linha do tangível move, inspira. Desperta o interesse na sua intangibilidade, a linha onde os dedos débeis, quase pensam sentir, a caricia do toque encantado nos mistérios que a inspiração persegue.
Desperta o interesse nos pálidos dias da criação. Acorda o talento dúbio ao âmago da duvida, na impotência perecível de acreditar.
Acreditar, é só do que se necessita. Do que todos necessitamos Urgente.
A urgência imprescindível, se almejamos a elevação patente ás barreiras do corpo gasto, exaurido no fatigar do quotidiano conformista.
Elevação fundamentalista nas palavras que se profere, nas palavras que se escreve, na tinta corrida pelo tempo, e até nas palavras encarceradas na goela, até essas se apresentam vitais, senão as mais importantes,  á soma de todas as resoluções.
Inspirar fundo as sensações do redor turbulento, deixa-las instalar-se no ninho negro da alma, aperfeiçoando o novelo, para depois fantasticamente o desvelar, e aí somente, os lampejos divinos poderão abençoar na divindade totalitária merecedora.
E somente aí as aguas enlameadas se verterão na cristalinidade da pureza da nascente.


Inspirado Inspirarás.
 Aceitando Acreditarás. 
Querendo Conseguirás. 
Realizando Imortalizarás.


Sarah Moustafa

2 comentários:

  1. Sarah, acreditar que tudo o que nos rodeia é excecional: as pessoas, as paisagens, os animais, os objetos et até as sensações, as emoções, boas ou más, pode ser uma fonte de inspiração para a arte, seja ela a de pintar, de compor, de escrever ou, simplesmente, de viver.
    Belo texto!

    ResponderEliminar
  2. Exacto Dulce é essa a mensagem a passar!!

    ResponderEliminar