quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Cosmopolita



Cortês aproximas-te da citadina realidade, do Mundo desenvolvido, nas redes complexas da Urbanização.
Da cidade esperas alcançar a virtude do conhecimento, a virtude da grandiosidade do sonho.
O sonho que pairou nas noites campestres e que te invocou na mudança necessária.
Porque das partículas da força de vontade, pretendes realizar , neste novo mundo assolapado e veloz, a obra da tua vida.
As palavras fluem na corrente sanguínea,  organizadas no seu próprio tumulto, saem cá para fora na linguagem que se traduz em letras, e que poucos, muito poucos, conseguem proferir.
A missão da obra contemporânea na extensão do pensamento eterno.
Na perdição do tempo, o limbo as retêm seguras, na propagação da mensagem devida, porque nada acontece ao acaso, e até a menina que nasceu na simplicidade do campo alcança a perfeição cosmopolita, na sofisticação do termo e no emprego da mais tocante humildade.

Sarah Moustafa



Sem comentários:

Enviar um comentário