terça-feira, 15 de outubro de 2013

Solidão de ser Só









A solidão de ser só 
Entre gente e confusão
Ser sempre margem 
Do delimite 
Uma inaudível canção
A solidão que abraça a alma
Num corpo frio até ser pó
Nem mar encostado ás rochas
Espuma branca de ondulação
Ou vento e remoinho
E chuva cadente no caminho
Nada se compara
Nada se ampara
Nada se repara
No nó que circunda o coração
A solidão de ser diferente
Sendo Igual
Ninguém a vê e quem a olha
Não a entende.


Nem Eu.




Sarah Moustafa


Sem comentários:

Enviar um comentário