terça-feira, 1 de outubro de 2013

4 sentidos




Vejo-me nos beirais dos rios que me expandem as margens e na água com reflexo a cristais e sangue dos selvagens.
Vejo-me na terra molhada estendida entre montanhas abraçada com o odor de luxo e vontades carnais perfumada.
Vejo-me no remoinho de vento e na espiral de grito contra o tempo que destrói como limpa a ditadura do sentimento
Vejo-me no lume das chamas quentes crepitante e avermelhada a curva dos meus olhos envolventes destilando calor ou dor, febre e amor na condição doente
Vejo-me nos sentidos da natureza nas incertezas certas da constante surpresa que me perguntam, não é esse o verdadeiro sentido da beleza?
A liberdade no eco da subtileza.

Grito o êxtase da imagem que vejo na mais interna viagem.


Sarah Moustafa 

Sem comentários:

Enviar um comentário