sábado, 5 de outubro de 2013

Gosto de imaginar-te por toda a parte





Gosto de imaginar-te em mim de todas as formas.
Sobretudo naquelas que não existem apenas para existirem em nós.
Por dentro e sermos consumidos pela chama alta um do outro.
Por fora sermos desconhecidos que sorriem sempre a primeira vez.
Gosto de cheirar-te nos lençóis onde nunca te deitaste
Ver-te o semblante apaziguado nas mãos de alguém que te massaja as dores e devolve-te as atenuantes
É a tua voz que me chega de todos os lados, nesta música que estou ouvir que se transforma tua, mais do que porque eu quero, um nirvana onde não chego e muito menos impero mas ele toca-me e muda-me porque te admiro e te venero.
Sim, desiludes-me, magoas-me e muitas vezes o que sinto é só Inverno....
Mas eu sou Imperatriz das Ilusões quem sou eu para culpar as minhas mesmas soluções?
Gosto de imaginar-te, entregar-te por toda a parte.
Lembrar-te. Adorar-te e... Amar-te.
Porque posso...é só o que tenho para dar-te.

Sarah Moustafa 

2 comentários:

  1. Sarah,
    Há muito que não o digo, mas nunca deixei de o pensar e é cada vez mais verdade: Adoro a tua escrita!
    Parabéns!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  2. ola boa tarde
    o amor é a base de tudo em que vivemos
    de tudo o que imaginamos
    de tudo o que queremos
    e de tudo o que precisamos
    sem amor a vida não faz sentido
    que o amor abrace a tua alma da mesma intensidade
    dos teus desejos beijos amei ler-te

    ResponderEliminar