segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Mais de menos e menos demais.





Quanto mais tento racionalizar mais me perco naquilo que devia deixar de estar
Amar...Amar...Amar
Conjuga-se com esta inevitabilidade de nada contextualizar !
Quanto menos sei mais quero saber
Como quanto mais sei menos quero perceber
Haverá alguém mais confuso que eu?
Graus que me separam ou aproximam do apogeu
Terei de aceitar o que não me conforma?
Ou reformar o que não me assola?
Meu deus... Um sinal, recebido.
A menos um dia aproxima-se outro
E foi ou não plenamente vivido?
Contigo...não há nada no que digo !
Mas um sentido que me põe os joelhos rendidos
E não sou submissa ...então porque estou a ser  ?
Dominadora por preguiça?
O fogo extinto que me atiça?

Não existem abominações maiores...



Certo?


Sarah Moustafa 

Sem comentários:

Enviar um comentário