sexta-feira, 29 de junho de 2012

Raiva




Poderosa força quando emerges o mundo pára com o grito trovejante que libertas.
Quando a raiva rebenta cega ao ponto de não ser capaz de distinguir correctamente os alvos a que se direcciona.
A mente transforma-se num tornado e devasta tudo por onde passa.
Incontrolável, procura apenas, libertar toda a tensão acumulada que se tornou impossível suportar num corpo físico e que precisa, com urgência, de se extravasar.
Proferes as palavras mais amargas incumbidas de um ódio que gela e petrifica quem as ouve.
No culminar desta emoção, vês o quanto tens aguentado, o quanto tens deixado passar impune ao teu poder. Na hora do teu julgamento não existe amor, amizade ou família, não catalogas ninguém por hierarquia sentimental, pois o único sentimento que te interessa é a fúria.
Para ti as nuvens adensam-se cinzentas e carregadas de lampejos electrizantes lançam os seus trovoes por todo o lado.
Quando proclamas o ultimo brado, o mais forte de todos, cais de joelhos no chão.
As forças foram sugadas até ao limite.
Lentamente recuperas o fôlego mas ainda é demasiado cedo para te ergueres o corpo ainda não energizou.
Mantem a calma sabes que te regeneras, sempre o fizeste, e agora não vai ser diferente pois não?
Saboreia o alivio que a explosão te proporcionou.
O sol não tarda voltará.

Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário