quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Silver Lining




Cada poema é uma nova forma que descubro como dizer adeus
Não existem palavras próximas o suficiente para descrever o que tal desperta em mim.
Redescobrir o grande amor da minha vida , escrever, escrever, escrever, ainda que á custa do teu...
Sentir ânimo, vontade e desejo !
Transmutar toda esta dor , acelerar passo adentro desta câmara ardente .
Voltar á vida e gritar sim !
Ainda bem que exististe, ainda bem que permiti que entrasses no espaço da mais brilhante verdade, do que sou e ainda posso ( sempre) ser.
Nem sempre é assim tão linear, muito dias sou persona non grata , não entendo o papel que de certa forma te foi dado.
Uns dias só penso em novas formas de te aniquilar, outras vejo-te por ângulos onde é impossível não te amar.
Deixam de existir crenças plausíveis ou aceitáveis, quando não é uma coisa nem outra.
São ambas!
Existem coisas que de facto podemos deixar ir e desapegar... outras lamento, mas não .
E esse pedaço de alma a que me trouxeste está apenas á procura do devido lugar.
Cada poema é também uma nova forma que descubro como me aceitar.
Desculpa se durante algum tempo ainda seja a sombra que queira aqui pairar.
Estive tanto tempo parada, agora ela quer se libertar....

Eu sei que precisas tanto como eu deste perdão.


Chegamos oficialmente a meio da viagem, ainda não se vê... mas sente-se a luz ao fundo do túnel.












                                                                  Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário