quarta-feira, 3 de julho de 2013

Vontade



Os prazeres que me são negados
São a obrigatoriedade interdita
De até mim serem explorados
Sou invertida
Contestatária de forma devida
O que é um espírito livre
Se ouve o que sabe
Que quer que se lhe diga?

 O prazer de errar
No acerto de ao mesmo me segurar
Não existe engano
No hedonismo de o desejo afirmar!

Sou contrária ao meu próprio desejo
E um súbito impulso
É Tudo que vejo
Se existe um custo...
Melhor !
Eu pago o orgulho
Dos sentidos
Seja onde for!
Gratamente
Eu serei Melhor
Ainda que seja
No meu Pior!

Orgulho em excesso?
Talvez...eu confesso
Mas que páginas serão estas
Senão as testemunhas impressas
Das minhas vaidades
 E vontades sem remessas ?!

Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário