terça-feira, 30 de julho de 2013

Qual Céu ?




No céu de um dia quebrado
Rodopiam vozes sinuosas
Sombras monstruosas
De um mundo desfragmentado

E gaivotas já não voam
Relâmpagos já não ressoam
Tempestade e Bonança
 Foram...
Algures para um outro céu que perdoam

E o céu de uma noite apagada
Não é noite e breu
Não é lua e prata em véu
Desvaneceu
É nada
Ladeiras Dilaceradas
De um ventre divino esventradas

Já não é Céu
É Terra Assombrada.

Sarah Moustafa 

1 comentário:

  1. Uma forte poesia, onde se permitiu que o céu se transformasse numa Terra assombrada.
    Beijos.

    ResponderEliminar