terça-feira, 21 de maio de 2013

Códices



Os códices secretos
Apontados nos ossos
Velados entre sonetos
Tatuados
São Tesouro aos nossos
Relíquias Bem Guardadas
Aos olhos lavados Encontradas
Esses códices incertos
Nos peitos fechados
Oráculos de acertos
São dividas e promessas
Ciclos de Recomeços
Portais Na alma abertos
Escancarados os Mundos
De tantos palcos e enredos
Divinos e Imortais
Pelos seus mesmos segredos
Como nos Desabrocha
A magia do que esta Vida Suporta
Gravadas as letras por toda a parte
Apagadas, Tingidas
Perceptíveis na sua Arte!
Essa oculta ao fundo das costas
Espinha Dorsal
Passagem Desnuda ás suas portas
De tantas encerradas
Abertas ás cegas 
Sentidas no enigma 
Consoladas!

Sarah Moustafa



2 comentários:

  1. Uma poesia com uma grande dose de criatividade.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Linda e inteligente poesia com inspiração acelerada na arte.
    Parabens Sarah por esta bela arte sempre traduzida.
    Um carinhoso abraço amiga.
    Bjo.

    ResponderEliminar