sexta-feira, 10 de maio de 2013

A Mesma Linguagem




Se pensas que conheces
O que nem a mesma 
Por onde anda sabe
Digo-te já "esquece"
Apaga a memória
De uma vindoura hora
Júbilo de Glória
Não penses que sabes
Um pedaço só desta história
Se te pensas resilente
Alta manutenção
Pedra e Cal Suficiente
Lamento quanto será Indiferente
Aconselho Não Vás por aí
O embate será insolvente
Se sentes certeza
De amor extrapolado
Ao centímetro da minha Beleza
Vai-te embora
Pois é a incerteza que a faz
E lança no caminho
Da vil Tristeza

Se assumes que desconheces
O que também não sabes
Andar só e apenas anoiteces
Ergo o semblante ao quiçá
E a Lua Negra que tragas
Sem hora mas Já
Se pensas a dificuldade
Impossível de probabilidade
Telhados de Vidro
Estilhaços de Similaridade
Grito-te Vem!
O corte será
Sarado na pele de quem é
Sendo Ninguem
A paixão aliciante
A que comunica entre a Miragem
Ideal curvado agravante
Fiel só na mesma Linguagem

Sarah Moustafa

1 comentário:

  1. Bravo Sarah,voce esta inspiradissima com otimas construções.O final ficou fantastico e inspirador.
    Muito bom esta viagem por aqui.
    Parabens sempre pela arte bela.
    Um abração.
    Bjo

    ResponderEliminar