segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Volta-te!





Volta-te!
Volta-te e vê! Vê como montes e árvores se desenham num arco perfeito á tua passagem, em estrada alcatroada, aos passos que inevitavelmente farás num caminho, numa jornada que te direccione onde tiveres que ir.
Volta-te e vê a beleza, a magnificente beleza em teu redor! 
Vê como ela se processa, nesse passeio, como desabrocha, como murcha, como se alimenta de cores e luz num campo germinado de sonhos.
Nunca te apeteceu deitar-te num campo de tulipas infindas, esplêndidas de cortes e formas, de cheiros e anseios, incontáveis aos sentidos trabalhos, reconhecidos, valorizados?
Trabalho-o, Reconhece-o, Valoriza-o.
Volta-te e vê, o que se perde quando não se anda, quando se estagna num processo, numa mentalidade, numa só verdade!
Como podemos aceitar uma única unidade, sem perscrutar todas as outras partes? 
Como sabemos que é aquela que nos liberta o espírito, que nos eleva as montanhas, se não conhecemos as outras? 
Se não viajamos um centímetro que seja á roda dos ciclos, das etapas devidas?
Ah...Volta-te e vê...vê as aprendizagens que apenas num relance pairam em purpurinas divinas ao nosso redor, a magia existe, mesmo, se apenas nos voltarmos... Se apenas a visualizarmos, incessantemente incansáveis por a tornar nossa, de a segurarmos em mãos, de fazermos dela o nosso vestido, o nosso fato, o nosso conto de fadas...
Volta-te e vê, porque verás tudo de outra forma, á que descrevo, porque esta é a minha única quimérica visão, tu terás a tua e será...tão diferente e maravilhosa por assim ser!
Volta-te e vê!


Sarah Moustafa

1 comentário:

  1. Lindo texto-poético!...

    Volta-te vê e certamente verás tudo, como uma nova oportunidade de crescer.

    Tenha uma ótima semana.
    Élys.

    ResponderEliminar