sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Diziam...





Diziam que o Mundo era todo meu. 
Que o segurava nas mãos trémulas de medo, de entrega á rendição, ao que se rende quando se entrega a plenitude de um coração.
Diziam que era pertença de todo o firmamento, que este me dava alento, sede e perseguição ao talento de estrelas divinas, num corpo de dividas e sinas, aprendiz de tudo e nada ao que fiz...ao dito que se diz.
Diziam que tudo o que bastava era a fé, a chama de uma vela ardente, escondida, incandescente...algures crescente, bastava sentir o fogo, o ânimo de sopro ao fôlego!
Diziam que podia dançar sem centímetro de movimento ousar, em musica que se ouve de dentro, interna sem a recusar, e que isso era suficiente para no ritmo dela, ao seu compasso, me deixar levar...
Diziam tanto, sem término em conclusão, sem pranto ou necessidade de santo, que a magia em cores vinha do vento, que se revelava, ao canto Supremo, O Quimérico segredo, que somos Nós, que somos o altar, o tanto a que louvar e verdadeiramente Libertar!


Sarah Moustafa

3 comentários:

  1. Esqueceram-se de nos ensinar a conclusão...

    ResponderEliminar
  2. Encontramos tantos professores na vida... sempre tem alguém nos ensinando isso, ou aquilo... mas descobrimos e aprendemos tudo é nos jogando de peito aberto à vida... e aqui estou eu também querendo ensinar (rsrsrsr). Maravilhoso querida e profundo, como tudo que escreves. Bjus

    ResponderEliminar
  3. Que lindo Sarah,reflexão e poesia neste ensinar,onde as respostas ficam sempre no mais fundo e calmo de nossas aspirações.
    Diziam e ainda dizem, os caminhos não sao nada faceis, mas vamos por ai naquela famosa perseverança.
    Bom lhe ver e ler coisas belas.
    Meu carinhoso abraço amiga.
    Bjo.

    ResponderEliminar