sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

A Terra parou para me receber.




Por onde vais tu?
Cuidado por onde andas,
O chão é plano os teus passos demasiado instáveis
Quem te avisa teu amigo é
Ainda não percebi porque escolheste andar?
Deram-te asas para quê?
O céu deixou de ser ambição ?
Aterras-te , sorris perversa para as mazelas deixadas neste novo corpo
Alguém que a chame a razão !
Pedes boleia a um estranho e que deliciosa familiaridade
Arrancar sem destino revestida das travessuras do desconhecido
Gosto disto, sabores do pecado, pele de recortes de cetim
E prazeres aveludados...
Amei o Paraíso , Acarinhei o Inferno
Amei -te a ti
E esqueci-me de mim.
Expulsaste -me, encontraste uma Rainha
( ahhhhhhhhhhhhhha )
Caí neste sitio estranho.
E é capaz de ter sido a melhor coisa que me aconteceu.
A soberania não me diz nada.
Quando eu sou capaz de tudo isto e sou mera humana !
Não sei por onde vou.
Ontem dei os meus primeiros passos.

Ainda agora comecei andar e já me fazes perguntas difíceis?




P.s - Encontrei esta coisa chamada de sapatos, creio mesmo que são mágicos.










Sarah Moustafa 

Sem comentários:

Enviar um comentário