quinta-feira, 5 de julho de 2012

Mulheres!


Only a women can make it work with so little...




Numa realidade cada vez mais andrógena interrogo-me do que foi feito do classicismo do arquétipo masculino e do arquétipo feminino?
Quando me refiro a arquétipo , falo sobretudo, das tonalidades tão particulares do universo da mulher.
A forma como se apresentam , como se vestem, como caminham nos saltos cada vez mais rasos...
Entristece-me profundamente, a cada vez maior, desconexão com estes valores, idílicos para uns, conservadores para outros, mas tão importantes para mim. ( ou talvez para a minha Vénus em Libra )
Uma mulher coberta de metal ,que lhe esburaca a pele, ou de tinta simplesmente horroriza-me, apesar de compreender a necessidade quase que ultrajante, de se rebelarem e passarem qualquer tipo de mensagem para a sociedade(Úrano), considero um verdadeiro atentado á beleza única que nos foi concedida.
Pois a maior sofisticação encontra-se na simplicidade.
O cabelo pintado das mais estranhas tonalidades, com as mais estranhas formas, a roupa tão masculinizada, larga e rasgada....
Enfim.. uma mulher é sempre um poço de infindável sensualidade, é uma essencia peremptória com que é banhada assim que a formação do sexo acontece.
É doçura e candura tocante ainda menina, vulcânica eruptiva em mulher e não satisfeita... a fruta madura sabedora quando o encantamento da juventude desvanece.
É milagreira da continuação da vida e provocadora das maiores guerras num mundo que sempre foi dominado pelo Homem.
E será que foi o Homem o verdadeiro detentor dessa dominação ou a Mulher que sempre tudo arquitectou, manipulou e seduziu para que acontecesse da forma que sempre quis?

Sarah Moustafa

Audrey Hepburn


Grace kelly
         

Sem comentários:

Enviar um comentário