terça-feira, 21 de março de 2017

Desencanto .




É dificil não sentir a crueldade de uma existencia que força despedidas,
rasga corações, apaga estrelas de tantos sonhos que nunca se realizam
Sentir esperanças emagrecerem num corpo onde os pés estão cada vez mais presos
A uma realidade que aos poucos vai perdendo encanto.
Claro que não deixou de existir beleza, o amor está em todo o lado
poemas ainda se escrevem pouco antes do amanhecer.
Claro que a mudança traz sempre algo de positivo, a vida não pára,
Ainda respiras , ainda sentes , ainda és capaz,
podes-te recriar continuamente.
Claro .
Mas e o durante?
E todos os dias até lá  ?
O que vai acontecendo contigo ?
O que fazes de ti e do peso absurdo que carregas?
Como não ceder á tentação de desistires ?
Todos os teus esforços caem por terra
Nada resulta, nada passa ...
Para além das tuas vozes, tem todas as restantes
Que dizem não estares a fazer o suficiente !
É difícil não te tornares um pouco cínico,
Amargo , ressentido, 
Tudo o que queres é expressares a verdade do que sentes
E nunca nada do que sentes , está certo.
Ou tens de regredir , ou avançar.
Mas eu estou aqui...
Um eclipse tomou me conta da alma
E não passa, 
Não vai embora.
E as horas pesam séculos
Os ossos doem,´
Caminhada solitária eterna,
E porquê ?
Porque nos destruímos ?
Porque somos horríveis seres humanos ,
Quando poderíamos alcançar tanto ?

Dizem que temos de aceitar o que a vida nos reserva.
Só que eu jamais me resigno ou conformo.

Como poderia?

é tudo tão, tão injusto...






Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário