domingo, 19 de fevereiro de 2017

Persona non grata


Nunca precisei de muito,
Mas precisei de ti.
E não estavas lá, nunca estavas lá.
Sei que devia ter sido mais ambiciosa
E de ter aprimorado esta capacidade de cálculo
Crente na percentagem mais improvável!
Esta esperança quase me mata,
esfola-me viva
Escama a verdade
E o que é?
O que dói ?
O que resta?
O que sempre ficará ?
És tu mesma , és tu mesma.
Menos é mais.
E eu sou muito mais.
Abro os braços ao que não me deste.
Tola, menina sonhadora ,
Tenho um mundo inteiro á minha disposição.
Intrigante, mulher misteriosa

No fim de tudo ofereceste-me de volta a mim mesma.
Inteligente ...
Serei eternamente grata.
Continuo a ser aquela pérola generosa,

Mas agora, é hora.

Sai.






Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário