sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Queres ser má?



Rebeldia interessante é esta que nos rodeia ultimamente...
A necessidade de ultrajar, de ser diferente assume cada vez mais uma maior importância na sociedade decorrente, mas pergunto-me se é através deste tipo de atitude de vão-se todos f**** que algo realmente significativo acontece.
Ora nos nigas e nas bitches diárias existe algo muito particular que me suscita o interesse.
Analisando um pouco do seu passado é claro, translucido como agua da nascente, que tudo não passa de um sistema de defesa deficiente criado para nos protegermos de quem nos rodeia.
A agressividade injustificada nas palavras, nas acções, na incompreensão da nossa propria natureza e da aceitação dela mesma, é a tristeza que vemos espalhada por um mundo inteiro de julgamentos e inadaptações.
É precisamente nesta tentativa , falhada, de querermos mostrar ao mundo que somos diferentes que nos tornamos iguais.
Alias não necessitamos de dar provas de nada acerca de nós mesmos a não ser ao próprio autor, Tu.
O mundo já sabe as particularidades que te compõe, ele é o melhor designer, só tu é que ainda não te apercebeste desta feliz certeza.
Por isso em vez de proferir palavras feias, de julgar actos alheios que nada nos concernem, vamos nos olhar ao espelho e fazer uma retrospectiva... e ai decidir se temos realmente o direito e a formação necessária para ser juiz dos outros.
Que tal ganharmos coragem para nos colocar no próprio lugar de réu, de advogado e juiz de nós mesmos e de nada mais senão isso.
Que tal, parece bem?

Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário