terça-feira, 28 de agosto de 2012

A Luta Continua...





Ergueste-te. Não esperava que tal fosse possível, nas encruzilhadas do pessimismo enterrei as esperanças vãs de que um dia melhor iria chegar. 
 Este não chegou, a estagnação permaneceu no exacto grau da expectativa decepcionante de uma alteração magica da realidade onde te inseres.
O melhor não chega. Continua tudo igual, toda a monotonia, toda a tristeza de permanecer inalterável num mundo constantemente modificado.
A prerrogativa de continuares a levantar-te, dia após dia nestas condições, é te dada.
 A capacidade que reúne as forças impensadas, as forças que surgem de uma energia com que nunca te deparaste e que agora descobres, e que agora  agarras, com a convicção de uma vitima que se tornou guerreira.
O arco é a tua arma, é a tua expressão mais verdadeira e espontânea, é a tua linguagem.
Sabes que afundar o barco antes da hora não é uma opção viável, não mesmo, e por isso mesmo ergueste-te fraca, dorida e ensanguentada mas nunca derrotada.
No campo minado das batalhas idas, encontras-te o arco e a flecha e neles te fixas-te para sucessão da luta, porque este luta não cessa, não acaba. 
A luta continua em todos os minutos que rodopiam no vortex do tempo concedido.
Na imensidão cinzenta de um céu carregado lanças a seta flamejante.
 A chama carrega a mensagem. A mensagem da esperança. A mensagem da luta que continua.

Sarah Moustafa


Sem comentários:

Enviar um comentário