domingo, 14 de dezembro de 2014

Iceberg





Não existe mais tempo para gastar naquilo que me faz recuar.
É hora de segurar as rédeas do que me foge.
O labirinto desfez a brincadeira já sem graça.
Não me prendes mais,
Liberto-me do jogo onde a regra é batota
Da prateleira onde a boneca deita-se e chora
Chega de viver sempre a mesma anedota
O vulto vai-se mesmo embora !
Não existem mais cartuchos para usar
E vidas alheias com que me preocupar
Não...
E sim , sei o que estás pensar.
Egoísmo é não colocares limite no que deixas
Que te leve sem nunca te entregar
Arrogância é não saber a besta dominar
Chega,
Agora jogo é a força
Despida de vergonha
Cai a estrela e eu ocupo o meu lugar
Não existe mais tempo para não me amar.

Tenho pena.
 (Só que não )
De quem um dia achou que o silêncio
É o mesmo que calar.
Só do fogo se fala...
Mas o gelo....
Esse é que sabe como queimar.













Sarah Moustafa 

Sem comentários:

Enviar um comentário