sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Cliché




A cegueira dos dias 
partem para longe do alcance
Onde a luz é mentira
Foi sempre mentira
Forjou-se Sol
Numa das Fases
Lua Mentirosa
Trapaça
Máscara Perigosa !
Chega de Ilusão...
Aparta-se a névoa
Não sobrou mais nada desse Coração ,
Ainda Bem !
O castigo estremece-te a alma
Beija-te o hálito de destruição
Para que saibas
O caminho da salvação.
Ainda bem  !
Que te mentiu
Que foi o ultimo que assim te viu
Olhou mas não viu nada
Tentou é claro
A noite era demasiado
( É sempre )
Bastou o susto
E revelou a verdadeira cara...
E todas as certezas?
Para onde foram camarada ?
Filosofias debitadas...
Histórias de cama...
O tal grito da natureza...
Tanta história encantada...
Caíram-te na lama?
O engodo
A novela
De repente
Apagou-se a chama
Cliché
(Come on...)
A sério?
Sempre a mesma trama... ?


Bastava-me a verdade.




Sarah Moustafa

Sem comentários:

Enviar um comentário