quinta-feira, 15 de junho de 2017

SOS




O mar e as suas ondulantes promessas,
envolvendo-me nas idas e voltas ,
Maré cheia, Maré vazia
ajuda.
A lágrima salgada cai do milagres da existência
beija-me o lábio, e com a ponta da língua
guardo-a para dentro
ajuda.
A música ...teclas do mais melodioso piano,
abrem portas seladas nos cantos mais obscuros
do meu coração ,
ajuda .
Sou um diário ou uma mulher?
Capaz ou necessitada?
As memórias são a única impressão digital.
que nos deixo.
Uma tela de cinema que nunca pára
se estrear ,
deixo a vida escolher o fim.
Mas seguro-me ao inicio.
Ajuda.
Escrevo outra carta ,
e ás vezes faltam palavras
ficam as letras sem sentido
Arranjadas sem nexo,
Senão aquele de me libertar.
Quem diria que dói tanto
escrever como não o fazer ?
Aí .
Nada ...Nada,
Ajuda.





Sarah Moustafa


Sem comentários:

Enviar um comentário