sexta-feira, 2 de junho de 2017

Embrulho



Sou um problema com pernas.
Complicadinha.
Uma insónia permanente ,
Sabor a sede ,
Sal na tua pele ressequida,
cinzas que se desfazem na tua boca,
Licor que destrói as tuas
cordas vocais.
O perfume que intoxica ,
O prenuncio da calma
que antecede a tempestade.
O meu nome
E a roleta russa ,
cabeça , coração
A beira do precipício ,
A mancha na tua alma,
O teu Karma ,
A tua Cruz
A bofetada quando
procuras por um beijo.
Serpente que desliza
pelo teu corpo
E se te envenena ,
Ou Cura,
Vai depender do dia ,
As vezes pecado,
As vezes benção .
Sempre um pouco dos dois.
E de pensar,
Que no meio de tanta mulher,
Estendes me e vasculhas ,
Aprecias
Um caso de estudo ,
sempre incompleto
Desembrulhas -me só para descobrir
Um novo presente no fundo da caixa
Camada atrás de Camada.

Confessa,

Sou tanto as pernas como o teu problema,

Favorito .






Sarah Moustafa 

Sem comentários:

Enviar um comentário