terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Faces da Lua #5



Nascemos e morremos sozinhos.
No intervalo descobrimos a falsa sensação de que não.
Que temos a companhia verdadeira de alguém nesta caminhada e que por termos é tudo o que necessitamos para nos validar.
Para nos dizer que temos valor, que somos uma pessoa no meio da selva que nos rodeia.
Quando nesse intervalo rapidamente descobrimos que o nosso amor próprio, nunca se desenvolvera dessa forma, começam todos os problemas e todas as soluções.
Porque comecas a ser tu para tudo e tudo por ti.
A bem, a mal.
Com risos e lagrimas.
Com dores ou suavidade.
Com amores ou rivalidades.
Es só tu.
E não precisas de mais nada, ainda que esse nada insista que sim.
O tudo também está em ti.
Nao é a solidão... Mas a importância de assumires que es só.
Ainda que rodeado, ainda que amado e acarinhado.
E eu não acredito em verdades absolutas.

Bem excepto...talvez, por esta.

Acredita.




                         



                                                         
                                                                Sarah Moustafa 

Sem comentários:

Enviar um comentário