sábado, 18 de janeiro de 2014

As horas que nos roubam o tempo.



Queria já ter tido o tempo que ainda não chegou.
Puxar a inevitabilidade nas rédeas das minhas mãos e segurar as circunstâncias de um futuro desconhecido que aterroriza o próprio medo.
Queria já ter beijado as bocas que ainda não tenho para beijar,
Amar as curvas e melodias de cada corpo que me trespassa as entranhas de ferro, fogo e paixão.
Queria já ter chorado as lágrimas que ainda não me caíram no canto sujo que as aguardam, ressequidas de sede e perdão, mudança, limpeza e catarse de emoção.
Queria, sim, já ter pronunciado todas as despedidas, todas as mortes e nascimentos de uma linha de vida de conhecimentos.
Queria poder fazer batota, num jogo que nunca é limpo.
Como se o destino se fizesse de justiças e longevidade no seu traço de vida e palma de mão vigente.
Como se as escolhas fossem dele ou nossas.
Como se os símbolos do amanhã se abrissem ao presente .

Queria poder ter o tempo que não sei se tenho e se é suposto ter.



Mas queria..., queria poder ter tudo o que inunda de sabor a estes pequenos nadas.



                             

                         







Sarah Moustafa



1 comentário:

  1. `⋎´✫¸.•°*”˜˜”*°•✫
    ..✫¸.•°*”˜˜”*°•.✫
    ☻/ღ˚ •。* ˚ ˚✰˚ ˛★* 。 ღ˛° 。* °♥ ˚ • ★ *˚ .ღ 。
    /▌*˛˚ღ •˚ ✰* ★¸.•°*”˜˜”*°•✫
    / \ ˚. ★ *˛ ˚* ✰。˚ ˚ღ。* ˛˚ 。✰˚* ˚ ★ღ ˚ 。✰ •* ˚ ”✫...B. E. S. O. S.
    http://yomismaokk.blogspot.com.ar/

    ResponderEliminar