sexta-feira, 7 de setembro de 2012

A Luz e as Sombras





Aquela metade que escondes intriga-me.
Intriga-me a sua beleza, o seu mistério e a sua aura de importância.
Rainha das Sombras, Aproxima-te!
Deixa-me ver o rosto que encobres e que tão sucessivamente emerge aos efeitos que a sua reverência exerce, num poder fenomenalmente importante á execução de um objectivo, a Plenitude.
Quando só mostramos a luz e reprimimos o negrume da alma, deixamos que nos conheçam pela metade.
Deixamos o vislumbre da radiação maravilhosa, da benevolência e da compaixão que sobre pressão, trabalham ao máximo vapor, para parecer real e único.
Mas no fundo sabemos que mais cedo ou mais tarde essa vil Imperatriz surgirá na reclamação ao trono que num ultraje lhe foi retirado.
Ela retornará fria e cortante numa vingança ao apelo da Luz, que deixou o seu brilho fusco, ao ela mesma cair na armadilha que as sombras cautelosamente criaram.
A sombra da mentira e da manipulação.
A sombra do julgamento.
A sombra do abandono.
Na verdade ambas são irmãs que nas lutas pelo poder e a razão , sucumbiram á rivalidade mortífera da divisão daquilo que só faz sentido Unificado.
"Aquela pessoa é boa pessoa", sendo essa pessoa abençoada pela Luz.
"Aquela pessoa é horrível!", sendo a pessoa abençoada pela Sombra.
O problema é que nenhuma está correcta. Estamos todos desfragmentados. Todos.
O vazio, aquele vazio e insatisfação que nos corrompe, sem sabermos bem o porquê, foi originado nesta duas irmãs, que ao se separarem, destruíram a sua mais sublime essência.
Agora...cabe-nos o árduo trabalho. O trabalho de reconhecermos a importância que ambas têm na construção daquilo que chamamos de personalidade.
Integra-las na energia de uma só.
Vamos ajuda-las a retornarem á família, que desesperada as procuram no vácuo da eternidade.
A Luz só faz sentido quando abraça as Sombras.
As Sombras só fazem sentido quando abrigam a sua Luz.


Sarah Moustafa



Sem comentários:

Enviar um comentário