sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Dores de Crescimento *


As folhas caem
e nós caímos um pouco com elas
Perecemos lentamente
E de súbito tornamos esta vontade de morrer
A hora mais honesta e bela
Porque só de cada estação
E no arrepio profundo da sua canção
Compreendemos porque tanto muda
Porque tanto precisa de se transformar
Despimo-nos ao altar da verdade
Fechamos a porta e apagamos a luz
saboreamos lentamente o que significa
resgatarmos o verdadeiro senso de poder
Quando deixamos de o ter de todo
Ainda que mergulhados na dor
ou na melancolia da perda de um amor
E nada sermos capazes de fazer...
Não façamos,
A chave é desprender
Deixar ir,
Deixar cair,
Como as folhas que nascerão vagarosamente
E de súbito traremos a este desejo de viver
O momento mais sublime
Redentor do fascínio
Do que é continuar, ainda assim, a Crescer .






Sarah Moustafa 

1 comentário:

  1. Conheci seu blog aleatoriamente, e achei bem interessante. Ótimo texto. Surpresa boa!

    ResponderEliminar