quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Pessoas como nós



Tenho saudades tuas.
E pessoas como nós não alinham em esquemas saudosistas e não se subjugam a uma vontade maior que a necessidade.
Pessoas como nós recuam aos avanços do sentimentalismo.
Rejeitam frases processadas ao tom da banalidade.
"Amo te ".
Pessoas como nós não envergam óculos cor de rosa ou exibem corações comprados a uma data.
Desconfiam do anel no dedo e da assinatura confiada a um rótulo conjugal. 
 Pessoas assim não desenham sorrisos alienados ou agonizam ao som da badalada e marcada ausência.
Pessoas como nós são descrentes ate do próprio sentido da gestação da vida.
Sejamos pragmáticos já basta aquilo que nao conseguimos alcançar no raio do nosso controle.
Arrefeçamos a incandescência da lava que consome esta gente.
Pessoas como nós não se escravizam as suas paixões.
E por isso quando pessoas como nós se encontram de joelhos diante dos enredos que o destino lhes traz, incapazes de se mover da teia em que a surpresa da vida os capturou, submergem nos mistérios da transformação.
E sair vivo de lá torna se secundário. 
Tenho saudades tuas e é mentira.
Tenho saudades de mim que só existe na colisão com o ti.

Pessoas como nós não formam pares.  




                           

                    



                         

                                                                  Sarah Moustafa



1 comentário:

  1. Há encontros tatuados nas paredes internas do coração! abraços

    ResponderEliminar