segunda-feira, 25 de setembro de 2017

( )




Escrevo de uma forma irregular,
incompleta e desorganizada.
Gosto de manter retratos fiéis.
Tal como um monitor cardíaco,
oscilo ,
altos e muitos baixos.
Coração a quanto obrigas.

Ou me matas ou me tornas mais avariada.

Forte , talvez.
Mas completamente separada por peças,
cada volta  do globo
Um pedaço meu.

Onde estão as mãozinhas hábeis,
feitas para mim ?
O que ainda estás a fazer.
aí tão longe ?

Não recebeste a minha
carta de emergência ?

Boa sorte,
Desgraçado.
Desconhecido.

Prometo compensar-te,

escrever-te um livro,
dar-te um filho
ou outra coisa qualquer.

"Arranja-me. "


Sarah Moustafa




Sem comentários:

Enviar um comentário